vozes

Vozes da Democracia

baixe aqui a íntegra do livro Vozes da Democracia    Vozes da Democracia Livro reúne experiências de veículos e profissionais de comunicação na resistência à ditadura militar no Brasil O livro Vozes da Democracia resgata experiências de veículos e profissionais de comunicação na resistência à ditadura […]

Continue lendo...
68

68 a geração que queria mudar o mundo Relatos

Em qualquer modalidade das relações do homem, entre si e com a natureza, a verdade assumida como atitude sempre será a via para a evolução e facilitação

luta

Luta, Substantivo Feminino

Luta, Substantivo Feminino

Publicação é resultado de parceria entre Secretaria de Direitos Humanos, da Secretaria de Políticas para Mulheres, ambas da Presidência da República, e Caros Amigos Editora dentro do

onde_foi_que_enterraram_nossos_mortos-209x300 copy

Livro “Onde foi que vocês enterraram nossos mortos ?”

Livro-reportagem relata a infâmia de outro “Cabo Anselmo”A história brasileira da infâmia precisa registrar o nome de Alberi Vieira dos Santos. Ex-sargento da Brigada Militar do

68, a geração que queria mudar o mundo.

Organizado por Eliete Ferrer, editado pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, no livro participam 100 autores em 170 relatos. Em mensagem coletiva no grupo da

direito a memoria

Direito à Memória e à Verdade

http://pt.scribd.com/doc/55814712/livrodireitomemoriaeverdadeid   Resgatar a memória, a verdade e a justiça sobre o que realmente aconteceu com os mortos e desaparecidos durante o período da ditadura militar é o

Jornal O Movimento

Movimento (1975-1981) foi um jornal revolucionário, jornal sem patrão, jornal dos jornalistas, de propriedade coletiva, sustentado por mais de 300 acionistas. Já nasceu com um programa político

A Ditadura de Segurança Nacional no Rio Grande do Sul: 1964-1985 – Repressão e Resistencia nos “Anos de Chumbo”

volume 2 - chumbo 2ª

Livro Direito à Memória e à Verdade

0004-529043072-2012062151975.jpg_20120622

O DIÁRIO DE MAURÍCIO GRABOIS NA GUERRILHA DE ARAGUAIA

[gallery ids="25169,25170,25171,25172"] Durante 605 dias, o Velho Mário, nome verdadeiro Maurício Grabois, dirigente histórico do PCdoB e líder da Guerrilha do Araguaia, registrou em diário a saga dos 68 combatentes