Manifesto conjunto da ALN e MRT sobre justiçamento de Henning Boilensen, financiador de torturas

Henning Albert Boilesen (Copenhague14 de fevereiro de 1916 – São Paulo15 de abril de 1971) foi um empresário dinamarquês radicado no Brasil, presidente da Ultragás, e um dos financiadores da Operação Bandeirante, de ensinar técnicas de torturas e de ser agente da CIA. Foi justiçado (assassinado sem direito a julgamento) por militantes do MRT e daAção Libertadora Nacional (ALN) em 15 de abril de 1971, na cidade de São PauloSP.

Boilesen foi uma pessoa muito influente na indústria brasileira na época da ditadura, tendo em seu currículo a participação na fundação do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, a presidência daUltragás e a presidência do Rotary.

Boilesen foi um dos primeiros grandes empresários a financiar o aparato político-militar brasileiro, que torturou e matou em São Paulo, por meio da Operação Bandeirante (OBAN), que viria a ser o embrião do modus operandi dos DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informações-Coordenação de Defesa Interna).

Presidente do grupo Ultra, Boilesen foi executado a tiros por militantes de duas organizações de esquerda, na manhã de 15 de abril de 1971, nos Jardins em São Paulo. Seus executores dizem que o escolheram como exemplo para um justiçamento, acusando-o de ajudar no financiamento da repressão e de assistir a sessões de tortura de presos políticos. Dizem também que Boilesen gozava da intimidade dos agentes de segurança da OBAN e que haveria até um instrumento de tortura conhecida como Pianola Boilesen, em homenagem ao empresário que trouxe do exterior uma máquina de eletro-choque acionada por teclado.

Baixe o documento em PDF

http://pt.scribd.com/doc/96433384

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

Todos os campos sinalizados (*) são obrigatórios