ESCRITOR MINEIRO ACUSADO POR VIGÁRIO DO INTERIOR DE USAR PALAVRAS DE “BAIXO CALÃO” CAI EM DESGRAÇA, APÓS PRESTAR DEPOIMENTO NA POLÍCIA POLÍTICA

Documento em anexo revela o clima policialesco em que se encontrava a sociedade brasileira nos duros anos da ditadura militar brasileira.

O documento, que faz parte do acervo do Arquivo Público mineiro, relata que um

vigário do interior acusou o autor de um livro de usar “palavras de baixo calão”, além de ter aceitado o prefácio escrito por Jorge Amado.

A denúncia do vigário foi parar na Delegacia de Ordem Política e Social e o escritor interiorano chamado para prestar esclarecimentos.

Compartilhe:

Arquivos para download:

Deixe um comentário

Todos os campos sinalizados (*) são obrigatórios